Orgulho e Preconceito

“Em vão tenho lutado comigo mesmo, mas nada consegui. Meus sentimentos não podem ser reprimidos; preciso que me permita dizer-lhe que eu a admiro e amo ardentemente”

Séries

O Divaneandoo mostrará algumas de minhas séries prediletas.

Músicas

Saiba minhas preferências musicais aqui no Divaneandoo.

Doramas

Fique por dentro das melhores séries asiáticas aqui no blog. You're Beautiful é e sempre será um dos meus queridinhos!

The King 2 Hearts

Um dos melhores doramas de 2012. Unindo romance, ação, suspense, comédia e drama numa história emocionante envolvendo uma monarquia coreana moderna em busca da unificação das Coréias.

Ojakgyo Brothers

Esse drama me cativou desde os primeiros episódios pela simplicidade da história e pelos inúmeros personagens pra lá de reais e apaixonantes. Confira a resenha aqui no blog.

Filmes de Bollywood

Não perca também as resenhas de filmes indianos aqui no Divaneandoo.

Séries Britânicas

BREVE resenhas de séries britânicas. North and South é uma das melhores e mais queridas! Minha predileta!

Animes

Aqui no blog você encontra resenhas de animes também.

Running Man

Running Man é um dos programas de variedades mais bem sucedidos na Coréia e aqui no blog você encontra resenhas de episódios. Garantia de risadas!

terça-feira, 26 de maio de 2015

Falling For Innocence (K-Drama)

E um dos meus dramas favoritos do ano infelizmente chegou ao fim nessa última semana na Coreia! Protelei durante alguns dias, mas enfim tomei coragem e enfrentei a tristeza de precisar se despedir de um drama tão cativante como Falling For Innocence! Porém a despedida só é completa quando posto resenha, então segurem na minha mão e aguentem meus desvaneios de um dos melhores dramas de 2015. 
 Título: 순정에 반하다 / Soonjunge Banhada
Gênero: Romance, Comédia, Drama
Total de Episódios: 16
Emissora: JTBC
Período de transmissão: 03 de abril à 23 de maio de 2015 
Produção: Kim Jong Hak Production (김종학 프로덕션), Doremi Entertainment (도레미 엔터테인먼트)
Direção: Ji Young Soo
Roteiro: Yoo Hee Kyung (유희경)

SOCORRO, minha gente! Me desculpem, mas é tão complicado resenhar sobre os dramas que me fazem realmente surtar, mas vou tentar expor então através de tópicos o que mais amei em Falling For Innocence, e espero agradar aos que amaram o drama tanto quanto eu e convencer mais gente a apreciar essa maravilhava de dorama.

- Romance Kim Soon Jung + Ma Dong Wook
Sabemos desde o início do drama que o par romântico da atriz Kim So Yun – a secretária Kim Soo Jung - seria o personagem do Jung Kyung Ho. Porém somos levados nos primeiros episódios a amar vê-la com o seu até então namorado, o detetive Dong Wook (Jin Goo). E que casal mais lindo né pessoas?! Eu fiquei vomitando arco íris com os dois e ao mesmo tempo sofrendo pois sabia que o fim deles estava próximo. Adorei o fato do roteiro mostrar essa relação de forma tão profunda como fez e em nenhum momento de maneira superficial. O que seria mais fácil, já que o namoro não iria durar. O fato é que o roteiro conseguiu com maestria cativar os telespectadores com o romance pra depois chocar todo mundo com a tragédia. Muito bem bolado e conduzido maravilhosamente bem pelos atores! Não conhecia o ator Jin Goo ainda mas virei fã do fofo, divertido e carinhoso detetive!

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Girl Of 0AM [Web Drama]

É com alegria e orgulho que venho hoje comentar um pouquinho sobre um dos web dramas mais fofos que já vi, e veio a calhar ser logo o de estreia do bias da blogueira no WINNER – Nam Taehyun - , então já sabem que o post não será nada surtado, né?! Porém tentarei deixar o lado fangirl de lado e convencê-los a conferir a fofura que é Girl Of 0AM.
Título: 0시의그녀 / 0 Shieuigeunyuh
Conhecido também como: Girl of 0 A.M, Midnight's Girl
Gênero: Comédia Romântica
Total de Episódios: 8
Emissora: Naver TVCast (SNS), MBC Every1
Período de transmissão: 04 à 14 de maio de 2015
Produção: Jang Jae Hyuk (장재혁)
Direção: Lee Chul Min (이철민)
Roteiro: Yoon Jin (윤진)


Motivos porque vale a pena ver Girl Of 0AM: 


- O enredo da história
Girl Of 0AM conta a história de Gong Jidan (Taehyun) que começa a trabalhar num karaokê depois de desistir do sonho de tornar-se cantor, até que a misteriosa Min Se Ra (Seo Min Ji) começa a aparecer para lhe ajudar a atrair clientes para o karaokê que tem a fama de ser assombrado.
Não sei vocês, mas sempre gosto de histórias onde um ajuda o outro a superar algum trauma ou medo. E no caso, temos Se Ra tentando animar Jidan para este voltar a correr atrás de seu sonho de cantar e misteriosamente Jidan pode de alguma forma ajuda-la?
 

quarta-feira, 20 de maio de 2015

MAD MAX: Estrada da Fúria (Filme 2015)

Sempre tenho vontade de fazer post de todos os filmes ocidentais que vejo mas não sobra tempo e acabo por vezes desistindo. Porém, quando você assiste um filmaço como Mad Max no cinema é até crime – sendo um blogueiro – você não separar um tempo para aclamar o filme em seu blog também. Afinal Mad Max merece todos os aplausos e elogios possíveis e já é de longe meu preferido ano.  
Título Original: Mad Max: Fury Road
Gênero: Ação, Aventura, Ficção científica
Duração: 120 min 
Direção George Miller
Produção: Doug Mitchell, P.J. Voeten e George Miller
Roteiro: George Miller, Brendan McCarthy e Nico Lathouris
Música: Junkie XL, Hans Zimmer
Cinematografia: John Seale
Edição: Jason Ballantine, Margaret Sixel
Produtora: Village Roadshow Pictures
Distribuição: Warner Bros.
Lançamento: 14 de maio (Brasil)
Ano: 2015 
Idioma: Inglês
País de Origem: Austrália, Estados Unidos

Vou ser sincera, pouco me lembro dos primeiros três filmes de Mad Max. Lembro vagamente de algumas cenas com Mel Gibson e até Tina Turner nos “cinema em casa” ou “sessão da tarde” da vida quando eu era criança e adolescente, mas nada muito além. Só sei que quando vi pela primeira vez o trailer de Mad Max: Estrada da Fúria soube que precisava conferir o filme no cinema assim que fosse lançado. Pois bem, fiz questão de ir no primeiro final de semana de exibição e OMG, fiquei totalmente extasiada e impressionada com a loucura que é esse filme. E assim trago:

Os motivos porque AMEI tanto o novo Mad Max

- O filme pouco de explica da história em si
Isso mesmo, eu já comecei gostando do filme exatamente por ele pouco explicar do que se tratava. Gosto de filmes que te fazem pensar e te prendem a atenção desde o primeiro momento, e Mad Max é um ótimo exemplo. Depois de assistir tantos filmes com temática de distopia nos últimos anos, já peguei um pouco do que seria o filme logo no início. Mas fico imaginando se na época que o primeiro filme de Mad Max foi lançado – há 36 anos – o pessoal já tinha essa noção. Ao que parece que Mad Max foi um dos precursores do gênero! 

segunda-feira, 18 de maio de 2015

Delightful Girl Choon Hyang / Sassy Girl (K-Drama)

Como falei na página do blog no facebook, estava com saudades de ver dramas das Hongs – minhas roteiristas favoritas – e resolvi então ver o primeiro e um dos mais famosos delas. Sassy Girl me fez lembrar o quão k-dramas antigos são bons ainda que mais “sofríveis” – no sentido que tem quase sempre os antagonistas mais intragáveis. Mas tudo vale a pena quando o ritmo da trama é bom e temos um casal com uma química gostosa de acompanhar. Sem mais delongas, vamos então ao post:

Título: 쾌걸 춘향 / Kwae-geol Choon-hyang/ Delightful Girl Choon Hyang
Conhecido também como: Sassy Girl, Choon-hyang / Pleasurable Girl Choon-Hyang
Gênero: Comédia Romântica
Total de Episódios: 17
Emissora: KBS2
Período de transmissão: 03 de janeiro à 01 de março de 2005
Roteiro: Hong Jung Eun, Hong Mi Ran
Produção: Lee Duk Gun
Direção: Jun Ki Sang, Ji Byung Hyun

Minha Sinopse:
A história é sobre a estudante Choon Hyang (Han Chae Young) que além de ser esforçada na escola, trabalha em vários empregos para pagar as próprias contas e ajudar a mãe, que trabalha em um clube noturno. Choon Hyang acaba conhecendo Mong Ryong (Jae Hee) de uma forma bem inusitada e num primeiro momento, não se dão bem. Até porque ela quebra o celular dele, e este rouba o dela, e daí já viram né?! Depois de muitas brigas, entram em um acordo, resolvem a situação e pensam com alívio que nunca mais vão se ver. Doce engano! 
Mong Ryong é o novo estudante transferido para a escola da Choon Hyang e inclusive, chega com toda a pompa. Acho sempre engraçado como os dramas traçam os estudantes rebeldes, que de rebeldes mesmo, pouco tem! O Mong Ryong é brigão, não para em escola nenhuma, ostenta sua moto pra cima e pra baixo, mas ao mesmo tempo, é um garoto sensível, que se preocupa com os outros e é carente de compreensão por parte do autoritário pai que é oficial de polícia. E tem uma queda forte por uma mulher mais velha. Porém, tudo começa a mudar quando se envolve com a Choon Hyang.

terça-feira, 12 de maio de 2015

Boss & Me (C-Drama)

Por várias vezes comecei alguns dramas chineses mas não sei nem explicar o porquê ao certo, nunca consegui terminar um, até descobrir Boss & Me. Já havia ouvido falar ali e aqui um pouco sobre esse c-drama até que finalmente, há algumas semanas resolvi conferir pelo menos o primeiro episódio e ver se valia a pena. O resultado foi que não consegui mais parar de ver o drama, e embarquei numa verdadeira maratona, um episódio atrás do outro, deixando para trás até mesmo os dramas coreanos que acompanho semanalmente. Espero conseguir então com o post de hoje explicar os motivos porque AMEI tanto Boss & Me e o quanto vale a penar dar uma chance ao drama chinês. 
 Título: 杉杉来了 / Shan Shan Lai Le
Conhecido também como: 杉杉的美味爱情 Shan Shan De Mei Wei Ai Qing, 杉杉来吃 Shan Shan Lai Chi, Boss & Me
Gênero: Romance
Total de Episódios: 33 ou 34 (dependendo da versão)
Emissora: JSTV
Período de Transmissão: 08 à 20 de julho de 2014
Roteiro Original: livro Shan Shan Lai Chi de Gu Man (顾漫)
Produção: Su Jiang Yu (苏降雨)
Direção: Liu Jun Jie
Roteiro Adaptado: Good Story Workshop (好故事工作坊)


Boss & Me é um drama chinês baseado no famoso romance Shan Shan Lai Chi de Gu Man e conta a história de Xue Shan Shan (Zhao Li Ying) – funcionária de um mega conglomerado que vê sua vida mudar a partir do momento que doa sangue para a irmã do seu chefe, o presidente Feng Teng (Zhang Han). Os dois acabam aproximando-se após o evento e temos o clichê de romance entre o chefe e funcionária, entre o rico e a pobre. Porém, já adianto que souberam explorar muitíssimo bem o clichê como poucas vezes vi acontecer em dramas. Então, sem delongas então trago 10 motivos que me levaram tanto a AMAR Boss & Me:

   


  
 

quarta-feira, 6 de maio de 2015

Close Range Love (J-Movie)

Estava com saudades de ver algo com o Yamapi e resolvi esses dias conferir seu mais recente filme - Close Range Love. E o que dizer? Fiquei absolutamente encantada não somente com ele, mas com toda a história! Espero que gostem da dica e do post: 


Título Literal: Close Range Love 
Título Romaji: Kinkyori Renai
Direção: Naoto Kumazawa
Roteiro Original: Rin Mikimoto (manga)
Roteiro Adaptado: Yukiko Manabe
Cinematografiar: Hiro Yanagida
Data de Estreia: 11 de outubro de 2014
Duração: 118 min.
Gênero: Romance
Idioma: Japonês
País de Origem: Japão

Close Range Love conta a história da estudante Yuni Kururugi (Nana Komatsu) que destaca-se entre sua turma como a mais inteligente e esforçada. Inglês é a única matéria que Yuni não consegue dominar, mas isso começa a mudar quando um novo professor é contratado pela escola: Haruka Sakurai (Tomohisa Yamashita). 
Yuni começa a fazer reforço da matéria com o novo professor e com o incentivo deste, começa enfim a melhorar suas notas na matéria. No entanto, o clichê acontece, e a estudante se vê apaixonada pelo professor, e este embora relute mais, logo acaba cedendo também! 
   
A tensão então tem lugar, pois já sabemos que é uma relação fadada ao fracasso, nem tanto pela diferença de idade, mas pela sociedade em si. Se a relação entre estudante e professor for revelada, ele perde o emprego e ela, por sua vez, acabaria sendo expulsa da escola e consequentemente perdendo suas chances numa boa faculdade.
Apesar de ser clichê, não tive oportunidade de assistir muitos dramas e filmes asiáticos da temática, mas fiquei encantada com Close Range Love. O filme tornou-se um dos meus filmes japoneses preferidos. 

O tempo mal passou e quando percebi o filme já tinha acabado! Yamapi continua lindo como sempre e fiquei um tanto surpreendida com sua atuação no filme. Não conhecia ainda a fofa atriz Nana Komatsu, mas gostei demais e espero ver mais trabalhos dela!

AMEI demais o casal, e ficava torcendo por cenas dos dois! A cena do primeiro beijo é tão fofa e simples, mas tão lindinha! Virou uma das minhas prediletas! Os atores ficaram realmente fofinhos juntos e sei que já disse, mas Yamapi continua tão LINDOOO! *_*
E enfim, amei tanto o filme que fiquei bem curiosa para conferir o mangá de Rin Mikimoto no qual foi baseado. Vocês já leram? É bom mesmo? E o que acharam do filme? E sobre Close Range Love:Season Zero, vale a pena conferir? Espero que tenham gostado do post que foi um um pouco curto, mas como é filme fico com receio de falar tudo o que ocorre e tirar a graça de quem ainda não viu! De qualquer forma, não deixem de comentar e lógico dar mais dicas de filmes asiáticos para a blogueira aqui!



Trailer de Close Range Love:


=================================
Close Range Love está disponível no Somos Viciados em Doramas.
=================================


Por que não tive um professor assim na minha época?

sexta-feira, 24 de abril de 2015

Livro: Muito Mais Que Uma Princesa (Laura Lee Guhrke)

Há muito tempo venho namorando este livro para comprar de tanto ver elogios nos fóruns de leitura e por recomendações de amigas. O título, capa e principalmente o fato de ser um romance histórico, despertaram meu interesse e dias atrás finalmente pude conferir Muito Mais Que Uma Princesa e trago hoje resenha.

 Título Original: She’s No Princess
Título Adaptado no Brasil: Muito Mais Que Uma Princesa
Autora: Laura Lee Guhrke
Gênero: Romance Épico
Editora: Essência
Ano de Edição: 2008
Número de Páginas: 344

O livro conta a história de Lucia Valenti - filha ilegítima do príncipe italiano Cesare de Bolgheri - que passou a vida sendo escondida da sociedade, afastada da mãe (cortesã) e sem carinho do pai. Para chamar a atenção deste, Lucia foi a perfeita filha rebelde, aprontando tudo o que não lhe era ensinado pelas freiras nos colégios que frequentou ao longo da vida.  Com cerca de vinte anos, sua reputação já estava comprometida, e seu pai buscando salvar o pouco que lhe restava, passa a reconhecê-la como filha, e aproveitando a estadia dela na Inglaterra (fugiu para a casa da mãe), faz um acordo junto ao governo britânico onde Lucia se casaria com um nobre inglês em troca de um excelente dote.

Sir Ian Moore é um honrado embaixador britânico, que famoso por seu profissionalismo, é sempre requisitado pelo seu governo para resolver questões diplomáticas complicadas em várias regiões do mundo. Vê sua vida mudar quando recebe a estranha incumbência de atuar como uma espécie de “casamenteria” para uma moça italiana com má reputação. Ian tem assim a difícil tarefa de encontrar um noivo da nobreza britânica que esteja disposto a desposar a italiana, sendo responsável por resolver os arranjos de tudo que envolvesse o casamento que será realizado dentre de poucas semanas quando o príncipe Cesare - pai de Lucia - vem à Inglaterra numa viagem oficial.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Hyde, Jekyll, Me (K-Drama)

E finalmente estou aqui para comentar sobre Hyde, Jekyll, Me – um dos doramas mais esperados e comentados de 2015. Pessoalmente, esperei muito mas muito mesmo, afinal era o comeback do Hyun Bin na TV e não perderia isso por nada, já que é um dos meus atores preferidos, e bem, é o Hyun Bin né?! Não dá para dispensar drama nenhum com o muso! Pois bem, fui uma das poucas defensoras de Hyde, Jekyll, Me que desde o começo de exibição foi massacrado nos fóruns doramáticos sendo excessivamente comparado com Kill Me, Heal Me e hoje trago post comentando o que gostei do drama e também o que não gostei, aliás, o que odiei! 
Título: 하이드 지킬, 나 / Haideu Jikil Na
Conhecido também como: Hyde, Jekyll, and I
Gênero: Romance, Comédia, Psiquiatria
Total de Episódios: 20
Emissora: SBS
Período de transmissão: 21 de janeiro à 26 de março de 2015
Produção: Lee Yong Suk
Direção: Jo Young Kwang
Roteiro Original: Webtoon Dr. Jekyll Is Mr. Hyde de Lee Choong Ho (이충호)
Roteiro adaptado: Kim Ji Woon (김지운)

Uma breve sinopse: Seo Jin sofre de transtorno dissociativo de personalidade. E enquanto é frio, só pensa em trabalho e pouco importa-se com as demais pessoas. Sua segunda personalidade - conhecido como Robin - é alegre, amoroso e gosta de salvar pessoas. Jang Ha Na volta à Coreia com a incumbência de dirigir o circo no País das Maravilhas - parque do Seo Jin e acaba envolvida com ele e sua luta para curar-se da doença. 



O que gostei em Hyde, Jekyll, Me

- Hyun Bin - mais lindo do que nunca
Sério pessoas! Se você é fangirl do Hyun Bin, já digo logo que vale a pena ver o drama só pra ficar babando em todos os episódios pela belezura da criatura! O serviço militar deu conta de melhorar o que já era excelente, e temos um Hyun Bin menos "rechonchudo" que em My Name is Kim Sam Soon e não tão magro como em Secret Garden. E ainda melhor que em The World That They Live In (ainda trago post!)
Hyun Bin está assim absolutamente perfeito em Hyde, Jekyll, Me: lindíssimo e atuando maravilhosamente bem! Por vezes esquecia-me que Seo Jin e Robin fossem a mesma pessoa, sendo que meu cérebro insistia em entender que os dois eram realmente irmãos – como se passavam para muitos na história.