Orgulho e Preconceito

“Em vão tenho lutado comigo mesmo, mas nada consegui. Meus sentimentos não podem ser reprimidos; preciso que me permita dizer-lhe que eu a admiro e amo ardentemente”

Séries

O Divaneandoo mostrará algumas de minhas séries prediletas.

Músicas

Saiba minhas preferências musicais aqui no Divaneandoo.

Doramas

Fique por dentro das melhores séries asiáticas aqui no blog. You're Beautiful é e sempre será um dos meus queridinhos!

The King 2 Hearts

Um dos melhores doramas de 2012. Unindo romance, ação, suspense, comédia e drama numa história emocionante envolvendo uma monarquia coreana moderna em busca da unificação das Coréias.

Ojakgyo Brothers

Esse drama me cativou desde os primeiros episódios pela simplicidade da história e pelos inúmeros personagens pra lá de reais e apaixonantes. Confira a resenha aqui no blog.

Filmes de Bollywood

Não perca também as resenhas de filmes indianos aqui no Divaneandoo.

Séries Britânicas

BREVE resenhas de séries britânicas. North and South é uma das melhores e mais queridas! Minha predileta!

Animes

Aqui no blog você encontra resenhas de animes também.

Running Man

Running Man é um dos programas de variedades mais bem sucedidos na Coréia e aqui no blog você encontra resenhas de episódios. Garantia de risadas!

sábado, 12 de julho de 2014

[VARIEDADES] Running Man: Ep 201 Especial Ídolos

Falou em especial idols em Running Man é comigo mesmo! Não perco um pois é sempre muito divertido, além de vermos os ídolos em situações bem diferentes do normalidade deles e esse episódio em especial foi bem interessante justamente por conta disso. Os idols teriam que provar que se dão bem também no campo! E OMG gargalhadas são garantidas! Espero que gostem do post e aos que ainda não viram que corram pra ver o episódio pois vale muito a pena. O episódio foi ao ar dia 22 de junho de 2014 pela SBS. 

Antes de mais nada vamos conhecer os idols da vez: Chansung (2PM), Minho (SHINee), Minhyuk (CNBLUE), Jinyoung (B1A4), Hoya e Sunggyu (INFINITE) e Bora (SISTAR). 
Sou totalmente suspeita em dizer que claramente torci pela equipe idol por motivos de Minho, Chansung e Minhyuk. As criaturas são muito queridas no meu S2. Mas é claro que meu coração fica um pouco dividido pois como não amar o cast de Running Man?! A apresentação dos idols foi bem interessante e as danças? Ri muito! 

E as comparações também entre os idols e o Running Man's! Chansung seria o Suk Jin Nariz Grande?! HAHAHHA

terça-feira, 8 de julho de 2014

Pretty Man (K-Drama)

E finalmente estou aqui para falar sobre Pretty Man (Beautiful Man) – um drama que foi lançado como tentativa frustrada da KBS de competir com o hit The Heirs no final de 2013. A verdade é que ainda estou meia confusa e não sei ao certo como farei essa resenha, e espero que ao final consiga ter passado o que senti assistindo esse drama.
 Título: 예쁜 남자 / Yeppeun Namja
Também conhecido como: Pretty Man / Beautiful Man  
Gênero: Romance, Comédia, Família
Total de Episódio: 16
Canal: KBS2
Período de transmissão: 20 de novembro à 09 de janeiro de 2014
Roteiro Original: Manhwa Pretty Boy de Chun Gye Young (천계영)
Produção: Kwak Ki Won, Lee Jin Suh
Direção: Lee Jae Sang, Jung Jung Hwa, Shin Yong Hwi (신용휘)
Roteiro adaptado: Yoo Young Ah (유영아)
 
Pretty Man é baseado num manhwa e conta a história de Dokgo Ma Te (Jang Geun Suk) – um rapaz ambicioso que ganha a vida aproveitando-se de sua beleza, conquistando mulheres ricas. E a partir do momento que conhece Hong Yoo Ra (Han Chae Young) isso só piora, pois recebe a missão desta de conquistar 10 mulheres para então saber um segredo da sua família do passado. 


quarta-feira, 2 de julho de 2014

Her Lovely Heels (Mini Drama)

E aqui estou para falar um pouco sobre o fofo mini drama Her Lovely Heels que eu comecei a ver por motivos de HONG JONG HYUN. Quem me acompanha no twitter sabe que essa criatura tem sido um dos motivos de surtos nas últimas semanas, desde que comecei a ver o We Got Married dele com a divertida Yura (Girl’s Day). E como já vinha querendo ver Her Lovely Heels a algum tempo, resolvi unir o útil ao agradável e acabei surpresa, pois AMEI o mini drama  e espero que gostem do post.

Título: 여자만화 구두 / Yeojamanhwa Goodoo/ Her Lovely Heels
Também conhecido como: Woman Comic Shoes / Girls Comic Shoes
Gênero: Romance
Total de Episódios: 10
Canal: SBS Plus
Período de Transmissão: 24 de fevereiro à 25 de março de 2014
Direção: Ahn Kil Ho (안길호), Min Yun Hong (민연홍)
Roteiro Original: Park Yoon Young (박윤영)
Roteiro Adaptado: Lee Mi Rim (이미림)

sábado, 28 de junho de 2014

Emergency Couple (K-Drama)

Estava quase me considerando uma ET por ainda não ter visto e postado sobre Emergency Couple – um dos dramas mais queridos pelos dorameiros de plantão nesse primeiro semestre de 2014. Pois bem, eu vi e o que dizer?! AMEI de paixão tudo o que foi esse drama! E me é até difícil falar sobre, pois parece que não conseguirei fazer jus, mas como sempre, vou me arriscar e apontar 10 motivos pelos quais vale a pena ver Emergency Couple. Espero que gostem!

Título: Emergency Couple/ Eunggeubnamnyeo/ 응급남녀
Gênero: Comédia Romântica, Medicina
Direção: Kim Cheol-Kyu
Roteiro: Choi Yoon-Jung
Canal: tvN
Total de episódios: 21
Período de Transmissão: 24 de janeiro à 5 de abril de 2014

1º) A temática de divórcio + medicina
Não sei vocês, mas ainda não vi muitos doramas com essa temática de divórcio apesar de que parece estar na moda esse ano. E achei super interessante acompanhar um casal que um dia foi casado apaixonando-se novamente depois de passarem por um divórcio difícil. Chang Min (Jin Hyuk) contrariando a família, ainda quando jovem estudante de medicina, apaixona-se pela simples Jin Hee (Ji Hyo) e praticamente larga tudo por esse casamento que não dura mais do que um ano. Motivo? Desentendimentos, brigas, crise financeira e principalmente falta de amadurecimento do casal. 
Chang Min volta às pazes com a família rica e acaba voltando a carreira médica estudando nos Estados Unidos, enquanto Jin Hee precisa enfrentar a realidade de uma mulher divorciada na Coréia, o que não é lá muito fácil. Mas surpreendendo a todos, Jin Hee acaba – quem diria – tornando-se médica também. E o destino quis que Chang Min e Jin Hee – outrora casados – voltassem a se encontrar no hospital em que ambos fariam a residência médica. Temos então vários desdobramentos. 

domingo, 22 de junho de 2014

[VARIEDADES] WINNER TV

Quem me acompanha no twitter sabe o quanto ansiosa estou pelo debut do meu amado Team A, ou WINNER -  desde 25 de outubro de 2013 quando venceram o Team B na batalha final. Para quem não tem ideia do que estou falando, recomendo que leiam meu post sobre WIN – o programa de sobrevivência onde a YG escolheu seu novo grupo masculino para debutar. Foram 150 dias de muito treinamento e tensão, onde os dois grupos trainees da empresa competiram entre si, de modo a conquistarem a confiança do Yang e do público.


Pois bem, comecei a conferir WIN por indicação da minha amiga @MonicaCostaV e hoje já não sei se a amo ou odeio! Porque nunca pensei que fosse me apegar tanto a um grupo assim, o que torna essa espera pelo debut muito mais angustiante. Até porque as fãs de WINNER (Aces, pelo menos por enquanto) estão sendo trolladas pelo papa Yang desde outubro já que o mesmo tinha prometido debutar o grupo vencedor de WIN imediatamente. Contudo, parece que essa espera está acabando e logo mais – depois de praticamente 8 meses de espero – teremos enfim o aguardado debut de WINNER (ao que tudo indica será em julho agora!). 
Mas, não quero ficar aqui no post me lamentando por essa demora (uso o twitter pra isso HEHEHE) e sim comentar um pouco de WINNER TV, que foi uma forma esperta do Papa Yang de “enganar” as fãs enquanto os meninos não debutassem. Na verdade, WIN fez muito sucesso e sabendo o quanto os garotos já eram populares, Yang logo teve a brilhante ideia de WINNER TV que começou a ser transmitido em 13 de dezembro de 2013 e foi até dia 14 de fevereiro desse ano, num total de 10 episódios com 45 minutos de duração em média. Esse tipo de programa na época do debut já é meio tradição na YG, já que BIG BANG e 2NE1 também tiveram algo parecido. Lembro até hoje quando foi divulgado que iria ter WINNER TV, foi uma surtação só no twitter junto com demais fãs do grupo. E realmente WINNER TV foi tudo de bom! Não há como não se apaixonar por esses 5 garotos! Mas o que WINNER TV mostra?
WINNER TV nos mostra o processo de preparação para o primeiro álbum do grupo, além dos bastidores deles abrindo os shows do BIG BANG no Dome Tour no Japão com contou com mais de 700 000 pessoas. Basicamente, seria isso! Mas houve tanta coisa bacana e o melhor, percebemos o quanto os garotos já são unidos e o quanto querem debutar de forma a atender às expectativas do público, da YG e dar orgulho às famílias e ao Team B, pois sentem muito por eles também.

Eu acompanhei WINNER TV a medida que os episódios iam ao ar pelo Mnet! Inclusive, cheguei a ver ao vivo e sem legenda alguns, tamanha minha ansiedade. O programa terminou – para minha infelicidade – em fevereiro mas porquê só agora vim fazer o post? Simples! Eu amei tanto o programa e amo tanto esses garotos que me é muito difícil comentar sobre e fazer um post digno, entendem?! Assim, fui enrolando e enrolando, e hoje do nada me deu vontade de uma vez por todas vir falar sobre no blog. Espero que gostem e sinceramente não sabia mesmo como falar de WINNER TV, pensei em comentar sobre cada episódio rapidamente e até comecei a fazer isso! Mas estava gastando quase 300 palavras para falar de cada episódio, ou seja, meu post nunca mais teria fim! Escolher apenas os melhores momentos para se comentar também é meio difícil pra mim, pois amei absolutamente tudo. Então vou tentar ser breve e ressaltar algumas coisas que aconteceram e algumas coisas que senti assistindo WINNER TV.


segunda-feira, 16 de junho de 2014

Livro + Filme: A Culpa é das Estrelas [The Fault in Our Stars]

É claro que não poderia deixar de fazer post sobre A Culpa é das Estrelas de maneira nenhuma, pois AMEI demais o livro e fiquei mais do que satisfeita com a adaptação cinematográfica. Espero que gostem e aos que ainda não se renderam à essa história maravilhosa, o que estão esperando?!  

Sobre o livro:

Preciso confessar que enrolei mais de ano para começar a ler o livro por motivos de que: não estava preparada para mais uma história triste onde alguém provavelmente morre de câncer após se apaixonar e blablabla. Não que eu não goste do gênero, nada disso. Mas é que nem sempre estou afim de ler livros que já pela trama apresentada na sinopse percebo ser deprimente. Ao ler a sinopse de A Culpa é das Estrelas foi me impossível não pensar no clássico Um Amor para Recordar, o qual AMEI com todas minhas forças, principalmente o filme. E lembro bem o quanto chorei e sofri na primeira vez que o vi. Assim sendo, apesar de ouvir TODO MUNDO comentando sobre A Culpa é das Estrelas nas redes sociais, ver o livro toda semana nos tops de mais vendidos e lidos, ver várias pessoas com o livro nas mãos por aí em ônibus e lojas e etc, e ver até mesmo minhas amigas mais próximas se rendendo ao livro, eu demorei para realmente ter a vontade de começar a ler. Resisti por vários meses, mais de ano, vi o pessoal surtar com fotos das gravações do filme, e mesmo assim, apesar da vontade de ler estar ali, continuava a não querer ler algo triste no momento. E evitei até mesmo ver o trailer do filme quando foi divulgado. Até que poucas semanas antes do lançamento do filme nos cinemas, enfim encontrei a coragem necessária para ler A Culpa é das Estrelas e saber de uma vez por todas porque o livro ficou tão famoso e consequentemente porquê John Green era tão querido pelo público.

Pois bem, vou confessar também que apesar de logo de cara gostar do jeitão mais sarcástico da escrita do livro, não me apaixonei de imediato por Hazel Grace. Vejam bem, até então estava acostumada a mocinhas heroicas que como o próprio livro diz, fazem de tudo para mostrarem o quão corajosas e determinadas são em enfrentar a doença, e nunca reclamar se sempre mostrar que apesar de estar com uma doença terminal, são felizes e transmitem essa força para todos à volta. E Hazel Grace não é assim, ou pelo menos, pensa que não é assim. Logo percebemos que a mocinha não faz questão de manter o esteriótipo e pelo contrário gosta de lembrar à mãe que logo irá morrer e não esconde sua frustração pelo tratamento complicado e trabalhoso que é obrigada a passar desde que foi diagnosticada com um câncer que dificulta bastante sua respiração, tendo até mesmo de usar cânula de ar e andar carregando um cilindro de oxigênio por onde ia. E aos poucos Hazel Grace, com seus apenas 17 anos, foi me conquistando, quer por suas tiradas sarcásticas, quer pelo seu jeitão realista de enfrentar as situações. E o livro só fica melhor quando um tal de Augustus Waters aparece em uma das reuniões de um Grupo de Apoio à Crianças com Câncer que Hazel começou a frequentar por livre e espontânea pressão dos pais. Augustus, ou Gus para os íntimos, já teve uma perna amputada por ter tido câncer e no momento estava curado da doença e foi na reunião para apoiar o amigo que logo perderia seus olhos para a doença. Gus logo se interessa por Hazel e ambos passam a ter uma amizade bem divertida e fofa, que previsivelmente torna-se algo mais sério com o tempo. Gus a exemplo de Hazel não segue os clichês do gênero, e pelo menos pra mim, me passou a impressão de ser um garoto normal, alegre e descontraído, com manias inusitadas (como deixar sempre um cigarro entre os lábios apesar de nunca fumar, entendam a metáfora lendo o livro!KKK)  e principalmente com medo do esquecimento.

É praticamente impossível não se sentir cativada por Hazel e Gus lendo o livro de John Green. Ambos tem personalidades tão cativantes e divertidas, e ao mesmo tempo são tão inteligentes e realistas, que é também impossível não se emocionar quando as coisas ficam mais sérias na história. Aliás, acredito que um dos fatores mais cativantes em A Culpa é das Estrelas é que o livro não romantiza o câncer, melhor, não romantiza os pacientes. Mostra que são jovens comuns como quaisquer outros ficariam revoltados e se sentiriam injustiçados por terem suas vidas abreviadas por uma doença tão dolorosa e implacável como o câncer. O livro não exagera nem em ser sarcástico nem em ser deprimente, mas mistura muito bem as emoções e os sentimentos dos personagens. Ora estamos rindo, ora chorando. E outra coisa que adorei foi o fato de mostram tão bem os dramas dos pais de jovens com câncer. E ao terminar de ler A Culpa é das Estrelas entendi enfim todo o sucesso do livro e virei fã de John Green. E nem preciso dizer que fiquei MEGA HIPER SUPER ansiosa pelo filme né?! Uma das vantagens de ter demorado tanto a ler o livro, é que não tive que esperar tanto pelo filme. 

Sobre o filme:
Pelo trailer já me emocionei e me apaixonei mais ainda por Hazel e Gus e também pela trilha sonora maravilhosa. E enfim, com muita empolgação fui conferir o filme com minha melhor amiga nos cinemas semana passada. E não deu outra: FOI ABSOLUTAMENTE PERFEITO! Poucos filmes conseguiram pegar tanto a essência do livro como a adaptação de A Culpa é das Estrelas conseguiu! Obrigado John Green não só por nos dar um livro maravilhoso como também por ter se envolvido na produção do filme e garantido que tudo fosse de acordo como deveria ser. Ainda não conheço muito a atriz Shailene Woodley, acredito que só a tenha visto em Divergente, mas essa guria está me conquistando cada vez mais. Agora já não imagino outra fazendo uma Hazel Grace melhor. Ela manteve com todas as forças o jeitão da personagem do livro e soube trazer emoção às cenas quando preciso, enfim foi perfeita.

Lembro até hoje quando foi divulgado o ator que faria o Gus, vi vários comentários negativos, criticando a escolha. Como ainda não tinha lido o livro não sabia o que pensar. Mas agora depois de ler livro e ver o filme, também faço o coro que fiz com o Shailene, não haveria outro melhor para interpretar o Gus. Ansel Elgort foi absolutamente perfeito, sério! Não dá pra sequer imaginar um Gus melhor que o dele. E vamos ser sinceros? Ansel está MUITO LINDO no filme, e com um charme de deixar toda garota rendida. Mas falando sério, ele deu vida a toda a essência do personagem e junto com a Shailene deixou, ouso dizer, todos os leitores do livro muito satisfeitos. Tiveram uma química super natural e pra lá de cativante, e a gente custa a acreditar que em Divergente fizeram papéis de irmãos!
Foram fofos, sarcásticos e emocionantes ao mesmo tempo. Souberam nos fazer rir e principalmente nos fazer cair em prantos em várias cenas. 
Méritos também para todo o resto do elenco. Os pais da Hazel foram maravilhosos também e conseguiram me emocionar. Willem Dafoe como o inusitado Peter Van Houlten foi demais também. O personagem pedia alguém a altura e Willem correspondeu. E o que falar do Issac? AMEI aquele garoto gente no livro e no filme mais ainda!
 
Além do elenco e da trilha sonora, outra coisa que me fez amar o filme foi o roteiro. Conseguiu deixar o filme bem fiel ao livro. Ok, com algumas diferenças e adaptações, mas nada que fugisse da essência, apenas foram necessárias no processo de transformar quase 300 páginas em cerca de 2 horas de filme. ADOREI o fato de ter diálogos inteiros do livro no filme, e a maneira como nos mostravam as conversas via mensagens de texto de celular e email na tela. Combinou tanto! 
Assim como o livro, o filme não foi sensacionalista! Ou seja, não exagerou e romantizou o câncer! E olha que senti que o filme poderia ter sido ainda mais triste se tivesse mostrado mais cenas dos sofrimentos dos personagens depois de Amsterdã. Se você leu o livro, sabe que há muitas cenas dessa parte da história que não foram mostradas. Contudo, ainda assim o filme encerrou a história com chave de ouro. 
 
Tudo bem encaixado e os atores foram magníficos. Não me canso de elogiar roteiro e elenco gente! Sério, foi sensacional.
Não posso deixar de falar também das locações do filme. As esperadas cenas em Amsterdã foram incríveis! Os cenários são lindos e deixou o filme ainda mais perfeito! 

Enfim, preciso parar de dizer que tudo foi "perfeito" mas como lidar?! Eu AMEI demais o filme e não tenho mais palavras para elogiá-lo. Sem falar que A Culpa é das Estrelas é aquele tipo de história que mexe com seus sentimentos de tal forma que te leva à várias reflexões sobre a vida. Você não fica triste apenas por Hazel, Gus, Issac, os pais deles, mas pensa em todas as pessoas que já passaram por essa situação e ainda passam hoje em dia. Deve conhecer ou já ter conhecido pessoas que tem ou tiveram câncer, mas talvez nunca tenha parado para pensar o quanto a doença afeta o paciente e sua família. Pode até parecer mais uma história clichê de jovens com câncer que se apaixonam e tal, mas ACEDE abusa tanto da simplicidade e do sem exageros, que é até difícil compará-lo com outros do gênero. Até porque não gosto de comparações. Sinto que por exemplo Um Amor para Recordar foi um clássico que marcou, até hoje empresto meu DVD do filme e as pessoas me dizem o quanto amaram e se emocionaram. Continuo o amando e acho que a história acertou em cheio na época que foi lançada, mas hoje em dia, precisávamos de algo como ACEDE para nos fazer emocionar de novo. Sinceramente, são pouquíssimos os filmes que me emocionam hoje em dia e olhem que sou sensível, mas ultimamente não temos tido filmes que te fato marcam uma geração e levam os expectadores às lágrimas. E ACEDE chegou e arrasou no quesito! Não estou dizendo que todos são obrigados a chorar vendo o filme ou se você não soltar lágrimas é um ser desprovido de sentimentos e etc (embora ache estranho) mas no mínimo o filme deve te fazer refletir sobre o valor da vida e das pessoas a nossa volta.  


A Culpa é das Estrelas é aquele tipo de livro e filme que volta e meia vou querer reler e rever, do tipo que sempre lembrarei, do tipo que me fará citar seus quotes e ouvir sua trilha sonora sempre que sentir saudades de uma história emocionante.

"Eu te amo no presente do indicativo"

"O mundo não é uma fábrica de realizações de desejos"

"Talvez O.K. venha ser o nosso sempre. - O.K - falei"

"Eu gosto de ser gostado"


"Mas todo mundo deveria ter um amor verdadeiro, que deveria durar pelo menos até o fim da vida da pessoa"

"Você me deu uma eternidade dentro dos nossos dias numerados, e sou muito grata por isso."

"Alguns infinitos são maiores que outros"

"Não me lembro mais qual foi nosso começo. Sei que não começamos pelo começo. Já era amor antes de ser." 

E para encerrar, deixo alguns vídeos da trilha sonora magnífica do filme:

All Of The Stars - Ed Sheeran (absolutamente linda!)

What You Wanted - One Republic (toca no trailer do filme!)

Let Me In - Grouplove



E vocês o que acharam do filme? Acharam que foi fiel ao livro? Quais outros livros de John Green me recomendam?