Orgulho e Preconceito

“Em vão tenho lutado comigo mesmo, mas nada consegui. Meus sentimentos não podem ser reprimidos; preciso que me permita dizer-lhe que eu a admiro e amo ardentemente”

Séries

O Divaneandoo mostrará algumas de minhas séries prediletas.

Músicas

Saiba minhas preferências musicais aqui no Divaneandoo.

Doramas

Fique por dentro das melhores séries asiáticas aqui no blog. You're Beautiful é e sempre será um dos meus queridinhos!

The King 2 Hearts

Um dos melhores doramas de 2012. Unindo romance, ação, suspense, comédia e drama numa história emocionante envolvendo uma monarquia coreana moderna em busca da unificação das Coréias.

Ojakgyo Brothers

Esse drama me cativou desde os primeiros episódios pela simplicidade da história e pelos inúmeros personagens pra lá de reais e apaixonantes. Confira a resenha aqui no blog.

Filmes de Bollywood

Não perca também as resenhas de filmes indianos aqui no Divaneandoo.

Séries Britânicas

BREVE resenhas de séries britânicas. North and South é uma das melhores e mais queridas! Minha predileta!

Animes

Aqui no blog você encontra resenhas de animes também.

Running Man

Running Man é um dos programas de variedades mais bem sucedidos na Coréia e aqui no blog você encontra resenhas de episódios. Garantia de risadas!

quarta-feira, 21 de setembro de 2016

W - Two Worlds (K-Drama)

E eis a resenha de um dos dramas mais comentados e aclamados pelos dorameiros de plantão em 2016. W - Two Worlds marca a volta da atriz Han Hyo Joo aos dramas após seis anos e mais uma vez prova o quanto Lee Jong Suk é carismático.  
Título: 더블유 / Deobeulyu / W - Two Worlds
Gênero: Fantasia, Romance, Comédia, Suspense, Melodrama
Total de episódios: 16
Emissora: MBC
Período de transmissão: 20 de julho a 14 de setembro de 2016
Roteiro: Song Jae Jung
Direção: Jung Dae Yoon, Park Seung Woo 



- Enredo original
W começa nos apresentando o protagonista Kang Chul (Lee Jong Suk), um jovem atleta conhecido em todo o país por brilhar na Olimpíada conquistando medalha de ouro. Sua vida muda completamente quando sua família toda é assassinada e ele é acusado e condenado pelo crime. Depois de anos, quando já não está mais preso, enriquece e monta todo um aparato para se investigar crimes sem solução, cujo maior objetivo então é descobrir o verdadeiro assassino de sua família.
Logo no início da história descobrimos que Kang Chul é na verdade o protagonista de um manhwa (intitulado W) muito popular na Coreia. Em determinada cena quando está quase morrendo, ele consegue “puxar” a médica Oh Yeon Joo (Han Hyo Joo) para lhe salvar. 
Enquanto Kang Chul vive no “mundo do manhwa”, Yeon Joo vive no “mundo real”, daí o nome do drama.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Uncontrollably Fond (K-Drama)

Assim como Uncontrollably Fond foi um dos dramas mais aguardados do ano, foi também um dos mais criticados pelos telespectadores de plantão após ir ao ar. No entanto, a blogueira que vos fala faz parte do lado que curtiu o drama e toda sua sofrência. Acompanhei vários dramas da temporada e incrivelmente Uncontrollably Fond era um dos que eu mais ansiava toda semana. Tentarei o máximo possível fazer a resenha sem dar spoilers importantes e aviso antes se for dar ok?!
 Título: 함부로 애틋하게 / Hamburo Aeteuthage / Uncontrollably Fond
Conhecido também como: Lightly, Ardently / Arbitrarily Fond / Recklessly Affectionate
Gênero: Melodrama, Romance
Total de episódios: 20
Emissora: KBS2
Período de transmissão: 06 de julho a 08 de setembro de 2016
Produção: Park Woo Ram (박우람), Kim Min Kyung (김민경)
Direção: Park Hyun Suk, Cha Young Hoon
Roteiro: Lee Kyung Hee

Escondendo o rosto de vergonha alheia, admito ainda adorar o clichê de casal de protagonista bonito, rico e famoso x mocinha simples e pobre. Woo Bin faz muito bem esse tipo de papel bad boy e nos primeiros minutos do drama, seu Shin Joon Young, já convence como ator estrelinha que quer tudo a sua vontade - até mesmo mudar o destino final do seu personagem durante a gravação. O que ninguém sabe é que seus dias estão contados: Joon Young foi diagnosticado com câncer no cérebro e tem apenas três meses de vida.
Enquanto isso, temos Noh Eul, interpretada pela linda da Suzy, a mocinha clichê sofrida. Órfã de mãe, Noh Eul vê seu mundo ficar mais difícil quando, ainda adolescente perde seu pai e passa a ter que sustentar a si e seu irmão menor sozinha. Noh Eul não liga para moda, namoros e nem nada do tipo. Só vive para trabalhar e ganhar dinheiro, muitas vezes usando métodos nada éticos (investiga os podres das empresas e acaba aceitando subornos para não divulgá-los).

A trama inicia nos apresentando Joon Young e Noh Eul já adultos, quando ela tenta convencê-lo a gravar uma espécie de documentário de sua carreira, onde ela seria a produtora. A surpresa é que só depois de algum tempo, os dois se revelam já conhecidos de longa data. O drama se passa em praticamente três períodos de tempo diferentes nas vidas dos protagonistas: quando adolescentes - quase terminando o ensino médico, depois de alguns anos já jovens e no presente - com eles já adultos. Então neste reencontro, vários sentimentos do passado vêm à tona abalando a vida de ambos e vários flashbacks nos ajudam a entender toda a situação.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

Joseon Gunman (K-Drama)

É incrível o quanto a cada drama épico que vejo fico ainda mais apaixonada pelo gênero, e Joseon Gunman é um ótimo exemplo de como vale sempre a pena conferi-los. Na resenha aponto os motivos que me fizeram amar o drama e ficar ainda mais impressionada com o quão talentoso Jun Ki é. 
Título: 조선 총잡이 / Joseon Chongjapi/ Joseon Gunman
Conhecido também como: The Chosun Shooter / The Joseon Shooter
Gênero: Épico, Vingança, Ação, Romance, Suspense, Drama
Total de episódios: 22
Emissora: KBS2
Período de transmissão: 25 de junho a 04 de setembro de 2014
Direção: Kim Jung Min, Cha Young Hoon
Roteiro: Lee Jung Woo, Han Hee Jung

- O enredo numa época de transição
A história de Joseon Gunman passa-se num período importante da história quando o ocidente começa a ter mais influência na política e cultura da Coreia. Políticos e principalmente estudiosos, influenciados pelo Iluminismo, tentam implementar no país mudanças que permitam mais avanço em várias áreas. Buscam criar um novo mundo, onde não existam mais escravidão e diferença gritante entre as classes sociais. O problema é convencer a ala mais tradicional do governo. Até porque estes não querem deixar de lado as vantagens de seus cargos, ao explorar o povo a fim de aumentar suas próprias riquezas e poder. Muitos são corruptos e não estão nada interessados numa nova ordem e novos valores.
Joseon Gunman mostra muito bem essa época da história da Coreia nos dando personagens em todas as camadas sociais. Há políticos do bem e políticos corruptos, estudiosos, militares, nobres, estrangeiros, mercadores e escravos.

sábado, 3 de setembro de 2016

Série: Stranger Things

Depois de mais de um mês do lançamento da série no Netflix e do sucesso instantâneo e estrondoso, resolvi enfim comprovar se Stranger Things era tudo isso mesmo. E não deu outra: caí de amores pela série e pelo elenco pra lá de cativante! Segue então os motivos que me fizeram amar e devorar a série mais popular do momento:
Título: Stranger Things
Formato: Websérie
Gênero: Suspense, Ficção científica, Drama, Terror
Total de Episódios: 8
Lançamento: 15 de julho de 2016
Criadores: Irmãos Duffer
País de origem: Estados Unidos
Idioma: Inglês
Distribuição: Netflix

- O enredo envolvente
A história passa-se em 1983 na pequena cidade Hawkins de Indiana, EUA. Coisas, literalmente, estranhas começam a ocorrer depois que o garoto Will Bayers (Noah Schnapp) desaparece em circunstâncias misteriosas. Tentando descobrir o paradeiro do garoto, seus três amigos começam investigar a situação e encontram uma garota esquisita - Eleven (Millie Brown). 
Joyce (Winona Ryder), a mãe de Will, sustenta não só que o filho está vivo como também que faz contato com ele através de "luzes". Todos a tratam como se estivesse louca.
Num primeiro momento achei que a série fosse ser bem infantil e que não teria lá tanta graça. Doce engano! A história, apesar de clichê e da sensação de dejavu – parece que já vi dezenas de vezes a mesma coisa em filmes e outros seriados - tem uma história intrigante. É aquele tipo de trama que aos poucos vai revelando os mistérios; monstros e conspiração envolvendo órgãos do governo tem lugar. Aquele tipo de história que dá margem para muitas teorias! O climinha de thriller é ótimo: não é nem aquele horror pesado nem um muito bobinho, mas mantém um suspense gostoso de acompanhar. Stranger Things consegue misturar gêneros de forma equilibrada e envolvente: além de mistério e ficção científica, há aventura, comedia e até pitadas de romance.

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Heroine Shikkaku (J-Movie)

Estou acompanhando o atual drama Suki na Hito ga Iru Koto (e surtando) e consequentemente, cai de amores por um tal de Yamazaki Kento. Decidi então ver os trabalhos anteriores do ator, e descubro que o mesmo já fez filme com a protagonista do drama, e é lógico que não poderia deixar de conferir e trazer resenha aqui no blog.

Título: Heroine Shikkaku 
Conhecido também como: No Longer Heroine / Heroine Disqualified
Gênero: Romance, Colegial
Duração: 112 min.
Lançamento: 19 de setembro de 2015
Direção: Tsutomu Hanabusa
Roteiro Original: Momoko Koda (manga)
Roteiro Adaptado: Erika Yoshida
Distribuição: Warner Bros.
Idioma: Japonês
País de Origem: Japão

Heroine Shikkaku é uma adaptação live action de um mangá shoujo, e conta a história de Hatori Matsuzaki (Mirei Kiritani), uma estudante do ensino médico que sonha em torna-se a heroína. Como assim? Pois, Hatori é um tanto maluquinha e desde quando se conhece por gente é apaixonada secretamente por seu melhor amigo - o Rita Terasaka (Yamazaki Kento). Seu grande sonho então é tornar-se a namorada/heroína dele.
Os dois são conhecidos de longa data, amigos de infância inseparáveis. Sabem tudo um do outro e passam todo o tempo juntos. 
Quando Hatori estava tentando decidir se confessava ou não seu amor, algo inusitado acontece: “seu” Rita começa a namorar uma garota do colégio, a Miho Adachi (Miwako Wagatsuma).

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Doctor Crush (K-Drama)

É uma verdade quase universal que a maioria dos dorameiros de plantão acompanham os dramas da Park Shin Hye, mesmo os não fãs da atriz. Seja pelo fato de contracenar sempre com atores lindos, por seus dramas conquistarem uma boa audiência, aumentando assim a curiosidade para conferi-los... De qualquer forma, sempre vale a pena, por um motivo ou outro. Trago então hoje resenha do recente Doctor Crush:
Título: 닥터스 / Dakteoseu / Doctors
Conhecido também como: Doctor Crush
Gênero: Romance, Comédia, Drama, Medicina
Total de episódios: 20
Emissora: SBS
Período de transmissão: 20 de junho a 23 de agosto de 2016
Direção: Oh Choong Hwan
Roteiro: Ha Myung Hee

* Protagonista durona
Nos primeiros episódios somos apresentados à jovem Yoo Hye Jung (Park Shin Hye): impulsiva, durona e muito boa de luta. Isso mesmo, a garota não perde oportunidade de mostrar suas habilidades físicas. Quando não ganha por palavras, parte para briga, o que ocorre com certa frequência.  Cansado das confusões da filha, seu pai a deixa aos cuidados de sua avó. Assim, numa nova cidade e numa nova escola, Yoo Hye Jung tem oportunidade de mudar sua vida completamente quando conhece o inspirante professor Ji Hong.
Sob influência dele e também com o apoio da avó carinhosa, a jovem que antes pouco se importava com suas notas, começa a dedicar-se aos estudos. Depois de alguns desdobramentos um tanto quanto injustos e trágicos, Hye Jung que já era amargurada, torna-se ainda mais, e jura vingança.
Logo no começo, é notável o quanto Hye Jung é diferente das personagens anteriores da Shin Hye, e isso por si só, já chama a atenção para o drama. Acostumada a interpretar mocinhas pobres, sofridas e que precisam de proteção, Shin Hye teve que treinar bastante para realizar as cenas de lutas e assistiu cirurgias para "pegar" o jeito de cirurgiões. Foi divulgado que ela realizou todas as cenas sem precisar de dublês. Achei bem bacana o esforço da atriz e torci para que a personagem até amadurecesse durante a trama, mas sem deixar de lado, esse jeito mais independente que nos conquista logo no início da história.
  

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Mirror of the Witch (K-Drama)

E finalmente venho comentar com vocês sobre o drama vencedor da última enquete aqui no blog. Pra variar, tenho alguns dramas inacabados desse ano (por n motivos), e resolvi então fazer a enquete pra ver se vocês assim me motivavam a terminá-los. O escolhido foi Mirror of the Witch, um drama épico que marca a volta do querido Yoon Shi Yoon para as telinhas da tv, depois de cumprir o serviço militar obrigatório. Espero que acompanhem o post: 
 Título: 마녀보감 / Manyeo Bogam / Mirror of the Witch
Conhecido também como: Witch Exemplar
Gênero: Fantasia, Épico, Drama, Romance
Total de episódios: 20
Emissora: JTBC
Período de transmissão: 13 de maio a 16 de julho de 2016
Roteiro: Yang Hyuk Moon, No Sun Jae
Direção: Jo Hyun Tak, Shim Na Yun 

  
A história do drama é sobre uma garota que luta para acabar com a maldição que lhe foi lançada no nascimento. Desde pequena, Seo Ri (Kim Sae Ron) vive isolada da sociedade, no alto de uma montanha - numa floresta enfeitiçada, de acordo com os moradores locais. Ela acredita que é filha de Choi Hyun Suh (Lee Sung Jae), uma autoridade espiritual taoísta do palácio real que por sua vez, dedica sua vida para protegê-la e encontrar uma maneira de reverter a maldição.
Inusitadamente Seo Ri conhece Heo Joon (Yoon Shi Yoon), um jovem inteligente que por ser apenas um filho de uma serva, cresceu sendo humilhado pelo irmão mais velho (o filho oficial, digamos assim). O grande sonho de Heo Joon é comprar a liberdade da sua mãe e passar em um concurso público.
Para isso, Heo Joon que é muito esperto e um hábil comerciante, passa os dias vendendo e negociando suas mercadorias afim de juntar algum dinheiro. O problema é que seu meio irmão não lhe dá sossego e num dos desafios que este lhe lança, Heo Joon acaba conhecendo a estranha garota Seo Ri. Depois de alguns desdobramentos importantes, ele se vê envolvido na causa dela em se livrar da maldição.
Poong Yun (Kwak Shi Yang), o “irmão adotivo”, depois de tomar conhecimento dos segredos que seu pai guardava sobre Seo Ri, passa a não medir esforços também para proteger e livrá-la da maldição. Apesar das recomendações do pai, ele com o tempo começar a nutrir sentimentos por ela. 
Um grande problema é que as pessoas próximas de Seo Ri também são afetadas pela maldição. Se ela apaixonar-se então!!! Já conseguem imaginar a situação então não?! 

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

5-ji Kara 9-ji Made (J-Drama)

A resenha de hoje é sobre um delicioso, divertido e romântico drama japonês, interpretado por ninguém menos que o lindo do Yamashita Tomohisa. Soube sobre o drama num post de melhores j-dramas de 2015 e depois de conferir também faço coro e o coloco entre os melhores do ano passado. Espero que gostem do post e deixem seus comentários ao final.
Título: 5時から9時まで / 5-ji Kara 9-ji Made
Conhecido também como: 5→9 From Five to Nine
Formato: Renzoku
Gênero: Comedia romântica
Total de episódios: 10
Emissora: Fuji TV
Período de transmissão: 12 de outubro a 14 de dezembro de 2015
Roteiro original: Aihara Miki
Roteiro adaptado: Koyama Shota
Produção: Goto Hiroyuki, Kinjo Ayaka
Direção: Hirano Shin, Tanimura Masaki

O drama é baseado no mangá de mesmo nome, e conta a história de Sakuraba Junko (Ishihara Satomi) que após causar certa confusão num serviço fúnebre, acaba entrando num acordo matrimonial - enganada pelos pais - justamente com o monge do templo - Hoshikawa Takane (Yamashita Tomohisa). 
A partir de então, Junko não terá mais descanso, pois o monge não largará mais do seu pé. Além de não gostar do monge, pelo menos num primeiro momento, ela não tem intenção nenhuma em abandonar sua carreira profissional para dedicar-se à vida de uma esposa de um monge num templo. Assim Hoshikawa Takane terá de conquistá-la de tal maneira que ela aceite todas as responsabilidades que o casamento irá lhe trazer. 

Junko é professora de inglês e seu grande sonho é ir para Nova York. Para isso, trabalha com afinco e participa de seleções para trabalhar na filial da sua empresa em NY. Com a volta de Kiyomiya Makoto (Tanaka Kei) para o Japão (ele estava trabalhando em NY), Junko começa a ter ainda mais esperanças de realizar seu sonho e também seu amor platônico por ele, que foi seu professor de inglês na época de sua formação, volta com força total.
Além do monge e do Makoto, Junko ainda tem como pretendente um velho amigo, o sério e concentrado Mishima Satoshi (Furukawa Yuki – Itazura na Kiss).

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Beautiful Gong Shim (K-Drama)

A resenha de hoje é sobre um dos dramas mais fofos do ano, do tipo que faz até mesmo o telespectador mais durão vomitar alguns litros de arco íris. Espero que gostem!
 Título: 미녀 공심이 / Minyeo Gongsimi / Beautiful Gong Shim
conhecido também como: Dear Fair Lady Kong Shim / Beast's Beauty / Beauty of the Beast 
Gênero: Comedia romântica
Total de episódios: 20
Emissora: SBS
Período de transmissão: 14 de maio a 17 de julho de 2016
Produção: Park Young Soo
Direção: Baek Soo Chan
Roteiro: Lee Hee Myung

- O enredo
O drama conta a história de Gong Shim (Bang Min Ah) que por ter problemas com queda de cabelo, usa uma peruca e também por não ter lá o melhor senso de moda tem uma aparência um tanto diferente e fofa. Viveu a vida inteira à sombra de sua irmã mais velha, que diferente dela, é bem sucedida profissionalmente - advogada de uma ótima firma - e chama a atenção pela ótima aparência. Os pais as tratam diferente desde sempre, tanto que a coitada da Gong Shim nem tem quarto próprio. Além de estar há muito tempo desempregada. Contudo, ela não é desanimada e vive em busca de um emprego.
Conhece o irreverente An Dan Tae (Nam Goong Min), um advogado que é conhecido na vizinhança por ajudar os mais necessitados, não cobrando muito caro por seus serviços. Dan Tae muda-se para o apartamento onde Gong Shim morava - que fica no andar de cima da casa de seus pais - e assim, passam a ter convivência como vizinhos, e em pouco tempo, como amigos e algo mais... 
Nesse ínterim, Dan Tae faz amizade com Suk Joon Soo (Ohn Joo Wan), herdeiro chaebol. O qual logo conhece também Gong Shim e pronto, o triângulo está formado. Para complicar, Gong Mi (Seo Hyo Rim), a irmã da Gong Shim interessa-se pelo Joon Soo ao descobrir que é rico, e passa a fazer de tudo para se aproximar do moço.
Fora o quarteto, o drama também aborda bastante o passado do Dan Tae e seus mistérios. Ele não consegue lembrar-se muito da infância e com seu pai tendo atitudes cada vez mais estranhas e suspeitas, começa então a investiga-lo mais a fundo, descobrindo assim vários segredos envolvendo sua família. 

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Refresh Man (Tw-Drama)

Refresh Man era exatamente o tipo de drama leve, fofo e divertido que eu precisava na época em que comecei a vê-lo. Não nego que o fato de ser protagonizado por Aaron Yan foi o maior motivo para me deixar convencer por vários leitores que mandaram mensagens clamando para que visse o tw-drama. Segue então resenha destacando alguns pontos do drama que me fez surtar muito em vários momentos! 
Título: Refresh Man, 後菜鳥的燦爛時代
Gênero: Comédia romântica
Total de episódios: 17
Emissora: TTV
Período de transmissão: 06 de março à 26 de junho de 2016
Criação: Sanlih E-Television
Roteiro: Wang You Zhen, Zhang Fang Ying, Chen Yun Ru 
Direção: Ke Zheng Ming, Hao Xin Xiang 

- O enredo
A história de Refresh Man não é nada complicada e nem elaborada, mas sim simples. É sobre a secretária Zhoung Yu Tang (Joanne Tseng) que vê seu mundo mudar quando um novo chefe aparece na área. Acontece que Yu Tang sempre foi uma secretária competente e muito elogiada no trabalho, porém o novo CEO não se mostra animado com o trabalho da moça.
O mais interessante é que Yu Tang e o agora seu chefe - Ji Wen Kai (Aaron Yan) – são velhos conhecidos. Os dois estudaram na mesma escola quando adolescentes e passaram muito tempo juntos. Só que na época Yu Tang era a inteligente e líder, enquanto que Wen Kai não era um bom estudante e se metia em confusões. O jogo realmente virou, e agora é ele quem detém o poder. Ambos guardam mal entendidos do passado então a convivência no trabalho não será nada fácil.
Wen Kai logo transfere Yu Tang para o setor de vendas, o qual ela nunca passou e nem tinha interesse. E ainda a coloca na equipe mais fracassada da empresa, onde os funcionários são desmotivados e acomodados. Aos poucos, percebe-se que Wen Kai tem motivações maiores, digamos assim, para chegar mudando algumas coisas na empresa e principalmente em relação a Yu Tang, sendo então cada vez mais difícil para ele esconder seus reais sentimentos por ela.
Ainda mais quando surge um rival na área, o gentil secretário Wang Zi Yu. Este mostra interesse por Yu Tang e sempre está por perto tentando ganhar atenção da moça e a ajudando com suas obrigações no trabalho.
Assim, a trama de Refresh Man é clichê, simples e nada muito original. Desde o começo você sabe que o drama não trará grandes desdobramentos e reviravoltas mirabolantes. Nem por isso, no entanto, deixa de ser cativante. Afinal, certos clichês nunca são cansativos.